A oportunidade para o jovem advogado se projetar no mercado de trabalho.

O que fazer após a aprovação no exame de ordem? Como começar a exercer a advocacia? Qual o melhor caminho? Não tenho muita experiência. O que fazer para angariar clientes e entrar no mercado de trabalho?
Esses foram meus principais pensamentos logo após minha aprovação no exame da Ordem dos Advogados do Brasil, e também devem ser as maiores dúvidas dos jovens advogados.

A advocacia por correspondência foi primordial para o início de minha carreira. Por não ter, a princípio, capital suficiente para arcar com todas as despesas de um escritório e não ter nenhum colega que pudesse dividir estes custos comigo, recorri à advocacia por correspondência a fim de começar, de fato, a ser um advogado.

A advocacia correspondente, também conhecida como advocacia de apoio, funciona da seguinte forma: muitos advogados ou escritórios precisam realizar diligências em outros lugares, que podem ser distantes de sua residência ou local de trabalho. Seria extremamente custoso viajar para a comarca do serviço apenas para cumpri-lo. Assim, eles confiam as diligências a um advogado local, para realizar o trabalho.

Este profissional, conhecido como advogado(a) correspondente, recebe seus honorários do contratante, após a realização do serviço prestado. Os serviços podem variar dos mais simples, como tirar cópias de processos, até os mais complexos, como participar de audiências e até, acredite, sustentação oral em tribunais. Naturalmente, o valor dos honorários irá variar de acordo com o tamanho, o local e a dificuldade da diligência.

Para ser um advogado(a) correspondente basta procurar nos vários sites de correspondentes jurídicos disponíveis e fazer um cadastro simples: nome completo, endereço, e-mail, telefone e número de inscrição na OAB. Para o advogado(a) receber diligências (ser contratado), geralmente, é necessário fazer uma assinatura de um plano oferecido pelos sites. Os preços variam entre R$ 29,90 a R$ 120,00 mensais. É um pequeno investimento que te dará o retorno financeiro necessário para o início de sua carreira.

Além de obter experiência jurídica para o mercado de trabalho, este tipo de advocacia dará ao profissional geração de networking a medida que fizer contato com vários profissionais de várias cidades do país, o aumento de receitas para os advogados mais experientes e irá garantir para muitos jovens advogados os primeiros honorários.